Notícias | - 12:05 am


“Vi meu mundo desabar com tudo que aconteceu”2 min read

Fabiana dos Santos viu o marido caminhar para a vida errada e depois para a prisão. Mas foi exatamente lá que aconteceu o impossível

“Vi meu mundo desabar com tudo que aconteceu”2 min read

Fabiana dos Santos (foto ao lado, à esq.) se sente realizada, mas a felicidade nem sempre esteve presente em sua vida. “Nem sempre foi assim”, como ela faz questão de destacar.

Casada com Kleidiano dos Santos há 14 anos, ela conta que os primeiros seis anos de casamento foram maravilhosos. “íamos para a Universal juntos, tínhamos uma vida normal como outros casais. Tivemos nosso filho nesse período, o Nicolas, que foi planejado e esperado”, relembra. Nesse período, tudo começou a mudar. E a mudança não foi para melhor.

Além das dificuldades financeiras, as brigas se tornaram constantes. “Meu esposo era membro da Universal, mas não era nascido de Deus. Ele começou a se envolver com as coisas erradas até que se afastou da fé. Eu continuava firme, falava com ele, mas ele não me escutava mais.”

O comportamento de Kleidiano foi mudando da água para o vinho. “Suas amizades eram pessoas de má índole. Comecei a desconfiar que ele estivesse envolvido com o tráfico de drogas. Queria que tudo fosse mentira. Mas não era.”

Consequências

O casal ficou afastado por um tempo. Além da falta de diálogo, Kleidiano era indiferente com a família. Ele foi detido por alguns meses e, ao sair da prisão, ganhou uma nova chance da esposa, para que ficassem juntos.

Mas a oportunidade de viver bem com a família não foi suficiente para que Kleidiano mudasse. Ele foi condenado a 4 anos e 8 meses por associação ao tráfico. “Vi meu mundo desabar com tudo aquilo que aconteceu comigo, com tanta vergonha e humilhação. Sou de uma família honesta e de princípios, jamais imaginei passar por isso. Pensei em desistir, mas isso fez com que eu me apegasse mais a Deus. Resolvi lutar por ele e pela nossa família.”

Fabiana sabia que a fé poderia transformar Kleidiano. “Na penitenciária tinha o trabalho da Universal nos Presídios (UNP). Ele começou a frequentar e, aos poucos, os pensamentos mudaram. Deus estava agindo e o interior dele começou a mudar.”

A verdadeira transformação começa de dentro para fora. “Hoje ele é obreiro, nós ganhamos almas para Jesus. Eu sou voluntária no trabalho feito no presídio feminino. Levo esperança para mulheres e mostro que a vida delas tem jeito. Se elas se entregarem para Deus, a vida delas também muda”, finaliza.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Flavia Francellino / Foto: Cedida 


reportar erro