Notícias | - 12:05 am


Surto de caxumba traz preocupação2 min read

A doença reapareceu em diversos locais do País. No município de São Paulo, houve aumento de 336% no número de casos

Surto de caxumba traz preocupação2 min read

Febre, dor de cabeça, dores musculares, desânimo, cansaço, náuseas e dor abaixo da orelha são os sintomas de uma doença que volta a assustar: a caxumba. A enfermidade reaparece em várias regiões do País de maneira preocupante. Estados como Bahia, São Paulo, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Sul registraram um aumento expressivo da doença.

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo, houve um aumento de 336% em 2016, em comparação com os primeiros nove meses de 2015. Segundo levantamento da Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa), órgão da prefeitura do município, do dia 1º de janeiro a 1º de outubro deste ano foram registradas 1.234 notificações da doença. No mesmo período do ano passado foram 283 casos.

O vírus da caxumba se multiplica na garganta e cai na corrente sanguínea. Então, ele atinge uma ou as duas glândulas salivares, que ficam bem inchadas. A pessoa sente incômodo para mastigar, febre e dor no corpo. A doença é transmitida pela saliva e secreções respiratórias. Nos casos mais graves, a doença pode causar surdez e meningite, além de provocar inflamação e inchaço doloroso dos testículos, nos homens, ou dos ovários, nas mulheres, e levar à esterilidade.

Não existe uma explicação clara para o aumento do número de casos. Para evitar a doença, deve-se tomar a vacina tríplice viral, que, além da caxumba, protege contra rubéola e sarampo. Indica-se a vacina principalmente para quem nasceu antes de 2003, pois antes desse período se tomava apenas uma dose.

A rede pública de saúde disponibiliza a vacina tríplice viral para pessoas com idade entre 1 e 49 anos, que são consideradas mais vulneráveis. Há restrições da vacina para gestantes e pessoas com baixa imunidade e portadores de HIV.

Cuide da sua saúde e fique sempre atento. Caso sinta algum desses sintomas, procure um médico imediatamente.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Michele Francisco / Foto: Fotolia 


reportar erro