Notícias | - 3:05 am


“Sou casada há três anos, o amo, mas não sou correspondida”3 min read

Veja o que Renato e Cristiane Cardoso pensam sobre este assunto

“Sou casada há três anos, o amo, mas não sou correspondida”3 min read

é comum muitos casais se agradarem do parceiro logo que se conhecem. No momento da conquista tudo é muito bonito e com as muitas qualidades e atitudes do parceiro o outro acaba se convencendo de que aquela é a pessoa ideal, o par para toda a vida. Contudo, depois do casamento, as falhas aparecem e a falta de investimento no relacionamento de ambas as partes pode matar o amor. Na edição desta semana do A Escola do Amor Responde, os professores Renato e Cristiane Cardoso falam do assunto. Acompanhe.

Aluna – Sou casada há três anos, estou no segundo casamento. Amo muito meu companheiro, mas percebo que ele não corresponde a isso. Ultimamente, ele anda com grosserias, falando alto comigo, com desconfiança, agindo como se a minha presença e os meus sentimentos não fossem importantes. Preciso da ajuda de vocês para saber como agir, pois isso faz com que eu deixe de gostar dele a cada dia.

Renato – Você está casada pela segunda vez, há apenas três anos. é muito provável que esses problemas já existiam antes desse casamento. Só que você não viu, ou viu e não se importou por achar que simplesmente as coisas iriam mudar. A sua situação mostra que muitas pessoas desfazem seus casamentos e se casam novamente por acreditarem que o erro está no parceiro que elas escolheram. Mas, na verdade, o erro está nelas, por não saberem escolher. Acredito que esse seja o seu caso.

Cristiane – Seu marido deve estar inseguro. Quando a pessoa está insegura, ela também maltrata. Tem tanto medo de perder o companheiro que faz isso. Seu marido tem problemas, nós sabemos, está bem claro, mas você não pode fazer nada a esse respeito, só pode fazer por você. Veja o que o seu marido reclama de você, o que tem atrapalhado no relacionamento, alguma coisa que você faz, por exemplo, que possa mudar. Você falou que seu marido é muito ciumento, então, caso seja muito amiga de outros homens, precisa avaliar se vale a pena continuar essas amizades. Há coisas que às vezes devem ser sacrificadas, que você deve deixar de fazer para o bem do seu relacionamento, para ajudar seu marido a superar seus problemas interiores. é claro que você não vai mudar o que ele pensa ou sente, pois é a própria pessoa que tem que saber lidar com o problema de insegurança. Mas sabemos que existe um limite, você pode compreender, evitar certas coisas e ajudá-lo a superar esses medos e traumas interiores.

Renato – Quando o parceiro está trazendo problemas, tem um comportamento inaceitável e você fica sem saber o que fazer, como agir e como deve ser a sua postura, o primeiro passo é: avalie em que você pode estar contribuindo para o mau comportamento dele e deixe de ser o problema. Comece a colaborar para resolver a situação. Segundo passo: depois que você mudar seu comportamento por um tempo e ele não tiver mais razão de apontar suas falhas, aí sim você terá moral para relatar sua mudança de comportamento e cobrar um retorno da parte dele. E se depois de uma conversa a situação não mudar poderá recorrer a uma separação temporária. Dessa forma, você vai fazer que ele reflita sobre a relação. Não quer dizer o fim do casamento e sim que você está com os pés no chão e se recusa a viver em uma união ruim. Mas, antes de fazer isso, peça a Deus sabedoria e direção, para saber o momento certo de falar e agir dessa maneira.

Para saber mais como resolver os problemas da vida amorosa, participe das palestras da Terapia do Amor, todas às quintas-feiras, em uma Universal mais próxima de você. A cada palestra, casais, noivos, namorados e solteiros aprendem sobre o amor inteligente e como desenvolver o relacionamento a dois.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Lorrainne Silva / Foto: Fotolia 


reportar erro