Notícias | - 12:05 am


“Só tem um problema: temos mãos bobas”4 min read

Veja o que Renato e Cristiane Cardoso pensam sobre este assunto

“Só tem um problema: temos mãos bobas”4 min read

Na edição desta semana do A Escola do Amor Responde, os professores Renato e Cristiane Cardoso respondem à pergunta da aluna Beatriz, que passa por “certas dificuldades” no namoro. Eles aproveitaram para dar dicas aos solteiros que decidiram ter relação sexual somente após o casamento. Confira.

Beatriz – Namoro há nove meses e amo muito meu namorado. Nosso relacionamento é sério, quase perfeito. Somos virgens e nosso objetivo é ter relações sexuais somente depois do casamento. Só tem um problema: nós temos mãos bobas. Nunca tiramos as roupas nem chegamos a fazer sexo, mas enfiamos as mãos por baixo da roupa um do outro. Já conseguimos ficar quatro meses sem nos tocar, mas não aguentamos e voltamos a fazer isso. Só que depois me arrependo. Ele promete que não vai fazer de novo, mas quando começamos a nos beijar não resistimos. O que podemos fazer para que isso não aconteça novamente?

Renato – A solução é muito simples. Provavelmente o que está acontecendo é que vocês estão namorando no quarto, sozinhos em casa ou no escurinho do cinema e, sendo assim, estão em algum lugar onde se sentem à vontade para fazer essas coisas.

Cristiane – Estão fazendo isso porque não tem ninguém por perto. Se sempre colocarem como regra somente se verem em público, namorarem em casa ou na sala com a família presente, saírem na companhia de amigos e não se encontrarem em um lugar sozinhos, como dentro do carro, por exemplo, já evitarão situações que levem vocês a se tocarem. Escolham lugares apropriados e nos quais vocês conseguirão se controlar.

Renato – Se escolherem namorar na presença de familiares ou em lugares públicos, não terão essa oportunidade e o problema estará resolvido. A grande maioria das pessoas tem um “pouquinho” de pudor e não faz essas coisas em público. Claro que depende do lugar. Em uma balada, por exemplo, quase todo mundo estará fazendo isso. Beatriz, como você disse que o relacionamento de vocês é sério e quase perfeito, nós os aconselhamos, especialmente se forem jovens, que o namoro não dure mais do que dois anos. E aqui vai uma dica aos solteiros: quando chegarem na idade em que desejam namorar para casar, identifiquem, nesse tempo, se o parceiro é ideal para estar ao seu lado ou não. No seu caso, Beatriz, como o namoro está se aproximando de completar um ano, deve estar claro para você e seu namorado se desejam casar ou não. Pensem no futuro do relacionamento, se deverão se casar, isso facilita e ameniza os problemas que vocês estão passando. Não estou sugerindo que devam se casar para que possam ter relações sexuais rapidamente, mas o casamento, com certeza, vai tirar mais essa pressão e preocupação que vocês estão tendo.

Cristiane – Vocês decidiram que terão relações sexuais somente depois de casados e agora precisam decidir quando isso vai acontecer. Não devem ficar cinco anos ou 10 anos nessa situação. Quanto mais tempo vocês demorarem a casar, mais difícil o namoro vai ficar porque o corpo também tem seus próprios pedidos. Também é importante que você coloque algumas regrinhas nessa fase de namoro. Quando eu comecei a namorar o Renato, minha mãe me deu algumas dicas que são valiosas para as mulheres que estão namorando. Por exemplo, saiba escolher as roupas que usa para não chamar tanta atenção do seu namorado. Às vezes você está querendo evitar uma coisa, mas o seu corpo está pedindo para que aquilo aconteça. Algumas roupas hoje em dia são muito chamativas e fica realmente difícil o parceiro se controlar. Fique atenta às vestes que usa para se encontrar com o seu namorado e isso vai lhe ajudar.

Para saber mais como resolver os problemas da vida amorosa, participe das palestras da Terapia do Amor, todas às quintas-feiras, em uma Universal mais próxima de você. A cada palestra, casais, noivos, namorados e solteiros aprendem sobre o amor inteligente e como desenvolver o relacionamento a dois.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Lorrainne Silva / Foto: Fotolia 


reportar erro