Notícias | - 3:00 am


Quando o diagnóstico dá forças para lutar4 min read

Lorrayne Rodrigues foi curada de sopro no coração

Quando o diagnóstico dá forças para lutar4 min read

Quando o diagnóstico dá forças para lutarA jovem Lorrayne Rodrigues Rosário, de 18 anos, foi diagnosticada há três anos com sopro no coração. Ela começou a sentir muita falta de ar, principalmente quando estava deitada, além da aceleração dos batimentos cardíacos e muito cansaço.

A mãe, Luzia Paula Rodrigues (foto abaixo), marcou uma consulta médica para Lorrayne, que estava com 15 anos e não sabia as causas daquele desconforto.

A jovem foi submetida a um exame de ecocardiograma, que constatou o sopro no coração (foto ao lado). “A médica disse que eu teria de refazer o exame de seis em seis meses para acompanhar o desenvolvimento do problema, pois existia uma possibilidade grande de ter uma arritmia cardíaca e, consequentemente, um infarto”, conta.

Luzia não se acomodou com o diagnóstico. “Não aceitávamos viver com aquele problema. Lorrayne era muito nova. Logo depois do diagnóstico dela, a minha mãe faleceu vítima de um infarto e isso me trouxe ainda mais preocupação. Mas sabíamos que Deus era o Deus de milagres e tínhamos que vê-lO em nossas vidas”, recorda.

O tratamento

Quando o diagnóstico dá forças para lutarMãe e filha, que já frequentavam a Universal há alguns meses, começaram a fazer uso da fé. Todos os domingos levavam uma garrafa de água para ser consagrada no Tratamento da Gota do Milagre. “Não faltávamos nenhum domingo. Eu pegava a gota do milagre e, durante a semana, fazia o uso em casa e determinava a minha cura”, conta Lorrayne.

Ela fez o tratamento com a água consagrada durante um ano e dois meses. Ao retornar para a consulta de acompanhamento, a médica especialista ficou surpresa. O resultado do ecocardiograma a surpreendeu. “A médica perguntou se havíamos feito com ela os exames anteriores, pois os resultados atuais estavam livres de problema. Ela ficou analisando o exame durante muito tempo, para verificar realmente se não havia mais o sopro, e comprovou o milagre”, conta.

Quando o diagnóstico dá forças para lutarLorrayne perseverou e não desistiu da sua cura. “Foram muitos propósitos, a cura não foi imediata. Houve persistência. Hoje tenho uma vida normal, não sinto mais falta de ar e não preciso fazer nenhum tipo de acompanhamento médico. Faço exercícios físicos sem problemas”, conta. Atualmente, por meio do seu testemunho, ela consegue ajudar outras pessoas que passaram ou passam por algum tipo de enfermidade.

Sopro cardíaco

O médico Hélio Castello, diretor e cardiologista do Grupo Angiocardio, explica que o sopro no coração é um sinal que corresponde à alteração no fluxo sanguíneo das cavidades cardíacas. Várias condições clínicas cardiológicas ou sistêmicas podem levar ao aparecimento de um sopro na ausculta cardíaca.

Este sinal clínico pode aparecer quando se tem algumas doenças cardíacas congênitas, como alterações estruturais na formação do coração durante a gestação; alterações nos funcionamentos de valvas cardíacas, que podem ocorrer em qualquer idade; infecções do coração que causam a lesão de valvas ou da parede do coração, chamadas de endocardite; anemias intensas; febre intensa e infecções severas, como septicemias; entre outras. O sopro pode aparecer em qualquer idade e fase da vida.

Não há relação entre sopro e infarto. No entanto, alguns infartos podem complicar com alteração grave do funcionamento da válvula mitral. Ou, ainda, por necrose do músculo cardíaco, o infarto pode gerar um rompimento da parede que divide o coração em direito e esquerdo (septo interventricular), podendo ser o sopro um sinal de complicação grave pós-infarto. Dependendo da causa, pode existir cura. Se a causa for sistêmica e não cardiológica, como anemia, por exemplo, resolve-se esta condição clínica e o sopro desaparece.

Quando é um problema do funcionamento da valva cardíaca, ele pode ser solucionado ou, em alguns casos, permanecer por toda a vida. Não se trata o sopro, mas a doença ou condição clínica que gerou esse sinal.

Muitas pessoas fazem e recebem orações para
tratar doenças incuráveis nas reuniões de cura e libertação da Universal. As
correntes acontecem todas as terças-feiras, em todo o Brasil. Veja o endereço
da Universal mais próxima em
universal.org/enderecos .

A Universal ensina a prática da fé espiritual associada ao tratamento médico recomendado a cada paciente


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Maiara Máximo / Fotos: Cedidas  


reportar erro