Notícias | - 12:05 am


Quando a origem do problema está na família3 min read

A ausência dos pais pode gerar insegurança e baixa autoestima

Quando a origem do problema está na família3 min read

A vida agitada e repleta de compromissos tem causado um afastamento entre pais e filhos, irmãos e irmãs. Com o passar dos anos, os familiares começam a manter um certo distanciamento e passam a viver como estranhos dentro da mesma casa.

A auxiliar administrativa Gabriela Lima (foto ao lado), de 21 anos, cresceu com pais pouco presentes. Eles trabalhavam fora e não conseguiam administrar o tempo para se dedicar aos filhos. Por isso, Gabriela foi criada por parentes próximos e também pela irmã. Isso a fez crescer sem uma base, sem uma referência paterna.

“Desde pequena aprendi que não podia contar tudo para os meus pais, pois a minha irmã sempre me agredia se eu falasse para eles o que acontecia em casa”, conta. Com 11 anos, a jovem viu a irmã bebendo com os amigos e quis experimentar. Ela começou a consumir bebidas alcoólicas e passou a se relacionar com os meninos da escola. Ela conheceu um rapaz pela internet e se apaixonou por ele. Gabriela ficou tão obcecada que deixou de ir à escola para ficar na casa dele. “Depois que tivemos nossa primeira relação sexual, ele se transformou. Ele não me recebia mais e, por conta disso, me afundei ainda mais na bebida”, diz.

Ela se cansou de ficar atrás dele, decidiu que não gostaria de mais ninguém e tornou-se uma pessoa ainda mais fria. Ela passou a se relacionar com todos os homens que apareciam, além de fazer festas em sua casa para beber e fumar narguilé. “O vazio dentro de mim só aumentava, então, comecei a andar com amizades pesadas e passei a usar drogas”, conta.

Ela começou a comprar maconha e passou a traficar na escola, para conseguir financiar o próprio vício. Em casa, ela disfarçava a vida que levava. “Eu vivia com o olhar baixo e com os olhos vermelhos por conta da maconha”, relata.

Certa vez a polícia a pegou com drogas. Seus pais ficaram estarrecidos ao saber o que a filha fazia. “Diversas vezes peguei as minhas coisas e fui embora determinada a nunca mais voltar. Mas, no dia seguinte, meus pais me buscavam. Eu sempre sumia quando queria sair, ficava a noite toda fumando maconha e bebendo”, relembra.

Os pais de Gabriela já frequentavam a Universal. Eles não aceitaram a situação da filha e passaram a fazer a corrente de libertação por ela. Até que ela decidiu aceitar o convite dos pais para participar de uma reunião. “Eu decidi aceitar ajuda, pois não queria mais sofrer.”

Ela lutou para deixar as drogas e as más amizades e conseguiu se libertar da raiva, dos vícios e de todos os sentimentos que a afligiam. “Tenho a presença de Deus em minha vida e isso faz de mim uma pessoa muito realizada em tudo”, diz.

Está passando por problemas de ordem espiritual? Saiba como livrar-se deles participando todas as sextas-feiras da Reunião de Libertação na Universal. Os horários das reuniões podem variar de um lugar a outro. Acesse www.universal.org/enderecos e encontre uma Universal mais próxima de você para participar.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Michele Francisco / Fotos: Arquivo Pessoal e Demetrio Koch 


reportar erro