Notícias | - 3:05 am


“O humor aproxima as famílias”4 min read

Intérprete de Shamir em O Rico e Lázaro, o ator Renato Rabelo fala das trapalhadas de seu personagem e os bastidores da novela bíblica da Record TV

Além de abordar temas como fé e escolhas, a trama da novela O Rico e Lázaro, da Record TV, também tem bons momentos de humor. Grande parte das cenas engraçadas fica por conta dos irmãos Shamir e Tamir, interpretados pelos atores Renato Rabelo e Anderson Muller, respectivamente. Os hebreus são a sombra um do outro e vivem em uma eterna disputa. Apesar das brigas, eles estão sempre juntos.

A comicidade dos dois personagens está relacionada às limitações físicas deles. Shamir tem problemas de audição, enquanto Tamir não enxerga muito bem. Orgulhoso, Shamir até tenta esconder a deficiência, mas sempre entende frases erradas, o que gera muita confusão. Os dois personagens têm lojas uma perto da outra em que comercializam ídolos de pedra.

Em entrevista exclusiva para a Folha Universal, Renato Rabelo falou de seu personagem, da importância do humor na televisão e dos bastidores da novela. Confira os principais trechos da entrevista.

Shamir e o irmão, Tamir

“Shamir não ouve direito, inventa palavras erradas e está sempre se confundindo. Junto com o Tamir, que não enxerga bem, ele vive várias situações engraçadas. Shamir e Tamir competem o tempo inteiro. Eles chegaram até a encontrar esposas iguais, duas gêmeas, e isso vai provocar muita confusão dentro de casa também. é uma relação de amor e ódio, mas, na hora do sufoco, eles se unem e mostram o quanto são solidários um com o outro. é uma forma de amor diferente, há pequenos detalhes que indicam que eles não conseguem viver um sem o outro. Em uma cena em que os hebreus estão indo para a Babilônia, por exemplo, Tamir diz que não está enxergando e Shamir fala para que o irmão se apoie no ombro dele.”

A família do personagem

“A família dele é disfuncional. O pai Chaim (Henri Pagnoncelli) é um déspota ambicioso, que acaba provocando a raiva dos filhos. Elga (Denise Del Vecchio), a mãe, é uma mulher avoada, que não percebe as maldades do marido. Espero que a família supere seus problemas ao longo da trama. Acho que a novela traz uma mensagem importante sobre isso, pois muitas famílias brasileiras também enfrentam problemas.”

Preparo para viver Shamir

“Durante a preparação de elenco, o preparador me contou que não ouve bem e que está sempre olhando para a boca das pessoas, atento ao que elas dizem. Então, comecei a perceber que eu deveria agir como se não estivesse ouvindo. Comecei a ler a boca das pessoas e a tentar descobrir o que elas estão falando. Isso é bom porque mantém meu personagem sempre vivo. Decidi colocar o “hã?” na boca do Shamir, ele fala isso sempre que não entende algo, ficou uma coisa engraçada. Ele sempre pergunta para o irmão Tamir, que acaba explicando tudo de novo, com raiva, mas explica!” (risos)

Humor na novela

“Venho de uma trajetória totalmente ligada ao humor, já fiz muitos papéis cômicos em minha carreira. O humor é ótimo para a novela, porque a trama já tem muita tristeza, muito drama. As cenas do Shamir e do Tamir são momentos para o telespectador respirar, as pessoas gostam de ver coisas engraçadas. Uma novela inspirada na Bíblia também pode ter humor, afinal, sempre existiram pessoas atrapalhadas e divertidas. O humor aproxima as famílias.”

Bastidores

“O Anderson Muller (que interpreta Tamir) é meu amigo desde garoto, fizemos teatro juntos e temos o mesmo núcleo de amigos. Então, é legal que agora estamos contracenando juntos. Além disso, o clima dos bastidores da novela é maravilhoso, não existe estrelismo no elenco, todos são parceiros, um ajuda o outro, é muito bacana. Todo mundo se dá muito bem e se admira, conseguimos reunir um elenco coeso e unido, com uma empatia mútua.”

Escolhas

“Quando existe dúvida, é importante escolher o certo e pensar no que você gostaria que fosse feito para você. Acho que precisamos agir dessa forma na vida e procurar fazer para o outro o que gostaríamos que fizessem por nós. Não somos perfeitos e às vezes podemos fazer escolhas equivocadas, mas cada escolha deve ser pensada de forma certa, sem passar por cima de ninguém, sem ganância. Também é preciso saber perdoar uma escolha errada.”

“Fé é acreditar, é crer. Precisamos acreditar em tudo na vida: que as coisas vão dar certo, que vamos vencer e ter saúde e que vamos fazer as melhores escolhas. Fé é essa certeza.”


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Rê Campbell / Foto: Munir Chatack 


reportar erro