Notícias | - 12:05 am


Mulheres no Templo4 min read

Membros do Projeto Raabe, dedicado a atender vítimas de violência, fazem a primeira visita ao local para conferir, na prática, o que aprenderam na Bíblia

Mulheres no Templo4 min read

Em setembro, 80 voluntárias do Projeto Raabe, voltado para mulheres vítimas de violência física e psicológica, realizaram o passeio pelo Templo de Salomão.

As visitantes compõem as equipes do Raabe nas zonas sul e leste paulistanas. Elas presenciaram a réplica do Tabernáculo dos hebreus, a tenda sagrada que utilizavam como templo móvel enquanto viajavam rumo à Terra Prometida, além de serem informadas sobre o significado de um dos artefatos dispostos no local. Em seguida, prosseguiram para o Jardim Bíblico e para o Memorial do Templo e ali aprenderam mais sobre a história da fé verdadeira e do povo de Israel.

Elas realizaram, inclusive, uma grande oração em plena Esplanada.

Segundo Carlinda Tinôco, coordenadora nacional do Raabe, que também esteve presente durante a visita, o passeio foi feito em um clima de “importante confraternização, ao mesmo tempo que fomos recebidas de uma forma brilhante pelos sacerdotes.”

Fé na prática

Para a dona de casa Gerusa Helena Biazatti Sampaio Pereira, de 56 anos, uma das visitantes, o passeio foi instrutivo e “inacreditável, inexplicável mesmo, até para mim, que estou há tanto tempo na Universal.”
Gerusa, que integra a Universal há 37 anos, tinha boas expectativas, mas todas elas foram superadas. “Me preparava para um momento muito especial, mas não para algo tão espetacular. Posso dizer que passei uma tarde inteira maravilhada e sinto isso até agora”, disse. Segundo ela, a visita foi muito importante para o trabalho que ela realiza no Raabe. “Acrescentará muito ao que fazemos, pois, se o passeio reavivou minha fé, reavivará, por meio de mim, a das muitas mulheres que atendemos”, explica.

Patrícia Nogueira Machado, de 40 anos, advogada, foi outra voluntária que participou da visita ao Templo com o grupo. No Raabe desde a criação do projeto, ela conta que a experiência foi “sem igual, praticamente surreal, pois só dá para ter uma noção do que é o Templo quando estamos pessoalmente nele.”

Mulheres no TemploA reação dela foi ainda mais intensa. “Minha postura lá foi a de ‘eis-me aqui, Senhor’, com vontade de Ele me mandar aonde Lhe aprouvesse. Só estando lá para saber. A mensagem do sacerdote (o guia do passeio, que usa as vestimentas características da época bíblica) fica conosco e é colocada em prática. Podemos passar às mulheres que atendemos, segundo aprendemos, que a fé não é só para ter, mas é para nos fazer agir”, afirma.
Carlinda Tinoco reforçou essa opinião dizendo que “as voluntárias tiveram a chance de acrescentar algo à sua fé e ao seu trabalho, ao conhecerem de perto o que sempre leram na Bíblia. Se antes líamos, ali pudemos viver o que está escrito, de uma forma bem prática. Sentimos mesmo que tudo que foi lido foi compreendido”, diz Carlinda Tinôco.

Segundo a coordenadora nacional, muitos outros passeios ao Templo serão realizados e não apenas com as voluntárias, mas também com as mulheres ajudadas pelo Projeto Raabe.

Rompendo o silêncio

O Projeto Raabe foi criado para valorizar e dar a devida assistência a mulheres com vários tipos de traumas que atrapalham o seu presente e sua autoestima, liberando-as de um peso que trava seu desenvolvimento pessoal e prejudica seu senso de identidade feminina.

As voluntárias conversam com as vítimas de violência e as orientam emocionalmente. Nos encontros e ações também há orientação assistencial, jurídica, psicológica e espiritual, com acompanhamento de profissionais de várias áreas, como advogadas, psicólogas e médicas, todas voluntárias.

O nome da iniciativa foi inspirado na personagem bíblica Raabe, uma prostituta sem rumo na vida até descobrir que sua cidade, Jericó, seria invadida pelos hebreus, o povo de Deus, e que não havia como fugir disso. Quando encontrou espiões daquele povo que veio pelo deserto, em vez de denunciá-los, acolheu-os com misericórdia e os escondeu, protegendo-os. Uma mulher que não via valor em si, discriminada por muitos, percebeu seu valor e teve um importante papel na história da humanidade.

Caso você passe, tenha passado ou conheça alguma mulher que sofra (ou sofreu) qualquer tipo de violência, procure o Raabe. Informe-se na Universal mais próxima de sua casa.

Veja as novas instruções para participação nas reuniões do Templo de Salomão clicando aqui. Para obter outras informações, você também pode entrar em contato com a Central de Informações do Templo de Salomão: (11) 3573-3535 ou info@otemplodesalomao.com.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Marcelo Rangel / Fotos: 


reportar erro