Notícias | - 3:05 am


Mulheres cismadas3 min read

Elas fazem de suas qualidades defeitos e acham que o mundo conspira contra elas

Mulheres cismadas3 min read

Sabe aquela sua amiga que apesar de ser bonita vive colocando defeitos em si mesma? Imagine a seguinte situação: vocês estão para sair. Ela está com uma roupa linda, que inclusive você amou, mas mesmo assim ‘encasqueta’ com um detalhe no look e fica repetindo o tempo todo que aquilo não está legal, que ela está feia e que não deveria sair daquele jeito.

Se alguém olha de modo diferente para ela, aí que a coisa piora. Ela já acha que a pessoa não foi com a cara dela. Não importa o que você diga, ela vai continuar batendo na mesma tecla, até estragar o passeio de vocês.

Se o problema não está na roupa, ela traz um para o seu dia a dia. No dia da entrevista de emprego, por exemplo, já sai de casa pensando que aquela vaga não é para ela, que provavelmente terão pessoas mais capacitadas para o cargo e por aí vai a desconfiança e os “grilos” que ela coloca na cabeça.

Essas são algumas características da mulher cismada, que se preocupa muito com a opinião alheia, forma conclusões precipitadas e, emotiva, sofre com tudo.

Segundo a psicóloga Ana Paula Felix, mulheres cismadas já viveram muitas experiências negativas que resultaram em complexos, baixa autoestima e uma tendência ao isolamento e essas cismas são como um mecanismo de defesa.

A psicóloga acredita que para vencer as cismas é preciso superar o que passou e trabalhar os novos desafios. “O comodismo, gerado pelo medo de que a situação ruim se repita, é uma barreira a ser vencida.”

Ela associa a atitude ao modo como alguém passa a preparar uma comida. “Eu comparo o comodismo a uma pessoa que aprendeu a fazer arroz com a mãe e um dia é desafiada a fazer de forma diferente. Geralmente, ela vai resistir e até recusar por estar acomodada com a maneira que sempre fez, mas é preciso estar aberta ao novo. A superação é um processo de construção que leva tempo e querer”, lembra.

Entretanto, a psicóloga alerta que em muitos casos é fundamental o acompanhamento de um profissional. “O auxílio de um especialista é necessário quando essas cismas atrapalham a rotina natural da pessoa.”

Você sabe do seu valor?

Talvez você tenha se lembrado de uma ou até muitas colegas que sofrem com o problema ou se identificado com esse perfil de mulher cismada. Mas tanto você quanto aquela amiga podem colocar um fim a todas essas aflições, como aconteceu com a vendedora Jéssica Meneses. “Eu cismava em achar que até minhas qualidades eram defeitos. Tinha muita dificuldade nos relacionamentos e acreditava que ninguém se interessaria por mim. Foi quando passei a tratar do meu interior que pude enxergar o meu valor. Não me abalo mais com opiniões alheias, tenho segurança de quem sou e quem almejo ser.”Jéssica passou a se aceitar depois que entendeu o seu real valor nas palestras e reuniões do Godllywood. Ela afirma que se tornou uma mulher segura de si e isso a fez mudar de posicionamento em situações em que a cisma batia à porta.

Essas preocupações estarão sempre tentando invadir sua mente, a maneira como você lida com elas é que fará diferença. Não se prenda ao passado de frustrações e experiências negativas, busque ajuda, permita-se uma nova receita, faça algo por você!

O Godllywood visa auxiliar mulheres em toda e qualquer situação, desde que ela deseje realmente ser auxiliada e moldada para uma mulher melhor. Conheça mais sobre o grupo e saiba como participar dos projetos clicando aqui.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Kelly Lopes / Foto: Fotolia 


reportar erro