Notícias | - 3:05 am


Já imaginou perder um familiar por causa da internet?2 min read

Post revela como criminosos se aproveitam de informações nas redes sociais para atingir você

Já imaginou perder um familiar por causa da internet?2 min read

Um post contando a história do sequestro de uma criança e replicado mais de 600 mil vezes no Facebook tem servido de alerta para muitos internautas. Não se sabe ao certo se a história é verdadeira, mas a postagem, feita pela norte-americana Cyndi Malvita, conta que uma menina de 6 anos foi levada da escola por um estranho, depois que criminosos acessaram informações sobre ela no perfil da mãe, onde aparecia uma foto da criança e o local onde ela estudava. Horas depois, a foto dela teria sido divulgada na internet, apresentando a idade e o preço pelo qual a menina poderia ser comprada. O final da história não é feliz e revela que a criança foi vendida para pedófilos. O alerta é para o fato de como criminosos se aproveitam de dados das redes sociais e que isso pode acontecer principalmente quando aceitamos pedidos de amizade de quem não conhecemos pessoalmente.

No Brasil

O caso mais recente e de grande repercussão no Brasil relacionado a criminosos que usaram informações do Facebook para um sequestro aconteceu em 2014. A vítima foi uma criança de 9 anos, em Ilhota, no Vale do Itajaí, em Santa Catarina. Peterson da Silva Machado, de 32 anos, planejou tudo. Na época, o sequestrador contou que ao passar em frente à loja da família do garoto, um magazine de grande porte, resolveu buscar informações nas redes sociais e descobriu a escola que o menino estudava. “Vi um pôster de propaganda do lugar com duas pessoas famosas (posando). Daí comecei a ‘fuçar’ nos negócios. No Facebook mostra tudo. Se vocês puxarem lá vão ver como mostra tudo da vida pessoal. Mostra até dentro da casa deles”, disse o sequestrador. O menino foi pego no momento que brincava com um patinete motorizado na rua da casa em que morava.

A dica

Felizmente, a polícia conseguiu desbaratar a quadrilha que ajudava Peterson e o menino foi devolvido à sua família, mas casos como esse são mais que um sinal para termos cuidado com as postagens que fazemos. Navegar pela internet é como andar na rua. Você não anda por ela mostrando para todos os seus dados, o que você faz, a que hora faz e aceitando amizades de pessoas desconhecidas. Essa falta de cuidado pode facilmente fazer com que criminosos descubram os seus interesses, localizações relacionadas a você e à sua família, além da sua rotina. Restringir o acesso às suas informações é uma questão de responsabilidade pessoal. Use as ferramentas que as redes oferecem para isso e tente adicionar só quem você realmente conhece. Fica a dica.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Eduardo Prestes / Foto: Reprodução 


reportar erro