Notícias | - 2:05 am


Godllywood celebra mais de 8 mil novas integrantes no Brasil5 min read

Na reunião trimestral, Cristiane Cardoso explicou como vencer o que lhe faz mal

Godllywood celebra mais de 8 mil novas integrantes no Brasil5 min read

A assistente comercial Adriana Rodrigues Pessoa, de 36 anos, relata que era uma pessoa agressiva, ríspida e autoritária. Considerava-se autossuficiente e se orgulhava de não depender de ninguém. Mas nem sempre foi assim. Um relacionamento traumático, no qual ela foi anulada, maltratada e traída, a deixou desse jeito.

Sem se dar conta, como autodefesa, ela criou muros em torno de si e adotou uma postura rígida que a “blindou” de novos abusos emocionais, mas a transformou em uma mulher solitária e infeliz.

Contudo, o que para ela era apenas uma forma de autoproteção, na verdade, se tornou autodestruição. As relações interpessoais também eram afetadas, porque ela afastava as pessoas com seu comportamento.

Só quando passou a fazer parte do Godllywood percebeu o mal que estava fazendo a si mesma. Pouco a pouco, por meio das reuniões e orientações, ela entendeu que precisava vencer traumas e aprender a ser a mulher que Deus planejou desde a Criação.

Foi com o exemplo de Adriana que a palestrante Cristiane Cardoso deu início à reunião trimestral do Godllywood Autoajuda, no sábado, dia 21, no Templo de Salomão, que também foi transmitida por videoconferência para todo o Brasil e pelo Univer Vídeo.

“Você não quer ser essa pessoa rígida, fechada, agressiva, uma filha rebelde, uma esposa rixosa, mas você é. Por quê?”, questionou Cristiane.

Adriana hoje é uma mulher diferente. Como muitas outras mulheres, ela não soube lidar com o erro do exmarido e errou também ao guardar um ressentimento. “Não podemos fazer nada em relação ao erro do outro, mas podemos escolher como agir”, orientou Cristiane.

Talvez você esteja cansada de fazer tudo certo, obedecer e mesmo assim não ver uma mudança. O problema continua, às vezes até pior, mas é preciso entender que os frutos dessa obediência não serão colhidos apenas nesta vida terrena, mas na vida eterna.

Lia e Raquel

A Bíblia mostra que Lia é um grande exemplo de uma mulher que, mesmo diante das injustiças que sofreu, não se cansou de fazer o bem, por isso Deus a honrou.

Godllywood celebra mais de 8 mil novas integrantes no BrasilSem que escolhesse, ela foi entregue a Jacó no lugar de Raquel. “Ela foi usada pelo pai como instrumento de enganação. Ela não tinha o amor de Jacó”, destaca Cristiane. Jacó não a queria, tanto é que trabalhou mais sete anos por Raquel, a quem amava. Contudo, Deus vendo que Lia era rejeitada a abençoou com filhos.

Raquel, por sua vez, embora fosse mais bonita e tivesse o amor de Jacó, invejava Lia por conceber filhos a Jacó e ela não. “Ela era invejosa, rixosa, idólatra e nunca se satisfazia. é isso o que acontece quando você não obedece a Deus”, ressalta.

A palestrante observa que Raquel posteriormente deu à luz José, morreu no parto do seu segundo filho, Benjamin, e foi enterrada pelo caminho. Quando Lia morreu, entretanto, Jacó levou o seu corpo para ser enterrado junto com Abraão e Isaque. Para Cristiane, isso é um indicativo de que Jacó posteriormente se apaixonou por ela, porque, mesmo sendo desprezada, Lia sempre procurou fazer o melhor por Jacó. Deus a honrou porque ela nunca se cansou de fazer o bem. Vale observar também que foi da descendência dela que nasceu Jesus.

Se você deseja ser uma mulher feliz, virtuosa, forte emocionalmente e espiritualmente, uma mulher de Deus, então, precisa se perguntar: “eu tenho obedecido a Deus em todas as situações?”

“O que você vive hoje é fruto da semente ruim que plantou ontem. Mas você pode mudar a semente e começar a plantar o que é bom. Se você quer ver Deus na sua vida, tem que começar a andar de acordo com a vontade de Deus. Não desista de fazer o bem”, aconselha a palestrante.

Antes de finalizar a reunião, Cristiane deu boas-vindas para as 8,5 mil formandas de todo o Brasil que, após passarem pelo período de Rush, estavam entrando oficialmente para o grupo, selando o compromisso de se tornarem melhores a cada dia. (Rush é o nome dado ao processo de seleção para o Godllywood, em que as candidatas recebem tarefas que visam o crescimento nas áreas espiritual e familiar, entre outras.)

Experiência

Djanira Teixeira dos Santos, de 55 anos, advogada, esteve entre as mulheres presentes à reunião especial. Para ela, aquele momento foi uma experiência única. “Eu pensava que já havia obtido alimentação espiritual forte, que já estávamos prontas, que éramos sábias. Mas, depois dessa reunião, vi que aprendemos a cada dia e que não há nada tão bom que não possa ser melhorado. O Godllywood representa uma bênção de Deus para nossas vidas”, observou.

Godllywood celebra mais de 8 mil novas integrantes no BrasilEliane Rosa de Araújo Camargo (foto ao lado), empresária e consultora de tecnologia, de 39 anos, também relatou o que viveu. “A reunião foi maravilhosa. Com certeza, foi umas das mais marcantes para mim. Não somente por ter sido o dia da minha formatura, mas também pelos ensinamentos que foram passados. O momento da entrega e do juramento também foram especiais, pois refleti sobre tudo o que passei para chegar até aquele momento.”

Fernanda Alcântara, de 32 anos, autônoma, levou a mãe para participar da reunião e ficou muito satisfeita com tudo o que ouviu. “O conselho de nunca parar de fazer o bem, não importando a quem, é a verdadeira essência de Deus. é algo que vou levar sempre dentro de mim”, disse.

Para Joandra Couto, gerente de projetos, de 22 anos, a reunião foi importante para refletir que os resultados daquilo que se planta não chegam tão rapidamente. “Mas Deus nos honra no tempo certo.”

Para saber mais, acesse godllywood.com.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Jeane Vidal e Flávia Francelino / Fotos: Demetrio Koch 


reportar erro