Notícias | - 12:05 am


Filhos de outro relacionamento3 min read

Saiba como construir uma relação saudável com os enteados

Filhos de outro relacionamento3 min read

Segundo o censo mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, apenas 26,9% dos divorciados não têm filhos. A taxa representa que a maioria de homens e mulheres que se separam e entram em um novo relacionamento passam por um momento delicado com os pequenos (ou grandes). E, nessa nova fase, quando os filhos vão morar com o pai ou a mãe, é preciso que todos aprendam a conviver de forma saudável.

Mitos

E não são apenas as crianças que sofrem com a separação. Os padrastos também passam por momentos complicados ao se verem diante de situações em que precisam corrigir ou ensinar o filho da companheira. Precisam aprender a agir frente à rebeldia, ao ciúme e às comparações que os enteados fazem entre eles e os pais biológicos, além de lidar com a culpa de achar que a relação amorosa será abalada e a de não conseguir agradá-los.

Se dar bem com os filhos do parceiro (a) pode ser um desafio repleto de mitos. Entre eles, o de tentar a todo custo exercer o papel de pai ou mãe. James Bray, Ph.D. em psicologia clínica e professor da Faculdade de Medicina Baylor, nos Estados Unidos, realiza estudos sobre o divórcio e publicou no site da Associação Americana de Psicologia algumas orientações sobre o assunto. Para o especialista, quem já convive com o enteado precisa entender que o papel de disciplinar é dos pais biológicos.

“Padrastos ou madrastas devem primeiro estabelecer uma relação com as crianças que se pareça mais com a de um amigo ou conselheiro, em vez de parecer alguém que impõe disciplina. O casal também pode combinar que o pai que tem a custódia seja o principal responsável pelo controle e pela disciplina das crianças até que o padrasto ou madrasta e os filhos estabeleçam um vínculo sólido”, alerta.

Ele propõe que a única responsabilidade seja controlar a conduta e as atividades das crianças, mantendo o cônjuge informado. E, para que haja harmonia no lar, “as famílias podem preparar uma lista de regras da casa, que podem incluir, por exemplo, ‘nós concordamos em respeitar cada membro da família’ ou ‘cada membro da família concorda em limpar o que sujar’”, diz.

Preparação

Quem está iniciando um relacionamento com alguém que tem filhos, pode seguir as dicas de Renato Cardoso no livro Namoro Blindado. De acordo com o escritor, as crianças passam por um período de cura e aceitação do que aconteceu e precisam se sentir seguras com a nova relação. “A conquista deve ser pautada na confiança. Isso significa que para conquistar não é necessário fazer todas as vontades da criança e enchê-la de mimos, mas demonstrar carinho e respeito pelas suas necessidades”, afirma.

Todos têm o direito de recomeçar a vida amorosa, mas a entrada de uma nova pessoa na família precisa ser gradual e suave, assim os filhos terão tempo para desenvolver a confiança e o respeito por ela. “Se você é essa pessoa, lembre-
se que terá de conquistar, além do amor do seu futuro cônjuge, o dos filhos dele também”, ressalta.

Portanto, “o que os filhos precisam ver para começar a respeitar o futuro padrasto ou madrasta é o bem que essa pessoa faz ao seu pai ou mãe”, conclui.

Para saber mais como resolver os problemas da vida amorosa, participe das palestras da Terapia do Amor, todas às quintas-feiras, em uma Universal mais próxima de você. A cada palestra, casais, noivos, namorados e solteiros aprendem sobre o amor inteligente e como desenvolver o relacionamento a dois.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Débora Vieira / Foto: Fotolia 


reportar erro