Notícias | - 3:15 am


“Eu sou tão ruim que nem a morte me quer”1 min read

Esse era o pensamento de Luana. Saiba o que aconteceu depois que ela tentou se matar

“Eu sou tão ruim que nem a morte me quer”1 min read

Luana era vingativa. Não aceitava que uma pessoa a desagradasse, mesmo que essa nem fosse a intenção. O objetivo dela era devolver o mal ao outro com as próprias mãos, a fim de se sentir em paz com a solução do caso. Paz essa que nunca chegava.

“Eu era uma pessoa vingativa. Não gostava que alguém fizesse alguma coisa contra mim. Eu sempre procurava me vingar daquela pessoa e não sossegava enquanto isso não acontecesse.”

De fato, ter sossego era algo raro na vida de Luana. Até mesmo em seu próprio lar a vida era conturbada. Comportando-se daquele jeito, ela fazia com que muitas coisas dessem errado na sua vida e, assim, era uma pessoa totalmente triste. “Tudo que acontecia na minha vida de errado eu colocava a culpa na minha mãe.”

A situação piorava a cada dia. Tanto era ruim a vida para Luana que ela tomou remédios para se matar, no que foi malsucedida. Como resultado, passou a acreditar: “Poxa, eu sou tão ruim que nem a morte me quer.”

Mesmo assim, contra todas as expectativas que tinha, a história de Luana mudou.

Assista ao vídeo abaixo e saiba como aconteceu essa transformação:

Compartilhe nas redes sociais.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Andre Batista / Imagem: Thinkstock 


reportar erro