Notícias | - 12:05 am


Ele quer provar que Deus existe2 min read

Menino superdotado de apenas 9 anos já cursa a faculdade e pretende atestar cientificamente a existência do Criador

Ele quer provar que Deus existe2 min read

William Maillis é um aluno incomum de uma faculdade comunitária no condado de Allegheny, no Estado norte-americano da Pensilvânia. Ele tem apenas 9 anos de idade. Mas não foi só por isso que o menino figurou em manchetes de vários países, mas porque pretende provar cientificamente a existência de Deus.

Aos 6 meses, William mostrou que entendia o conceito dos números; aos 3 anos fazia contas de multiplicação, lia e escrevia; aos 4 anos, falava grego; e, dos 5 aos 7 anos, “mandava muito bem” em conceitos de trigonometria e geometria.

O geniozinho conseguiu permissão das autoridades para cursar o ensino médio e a faculdade, para a qual entrou neste ano. Will pretende se aprofundar em física e química para fazer doutorado e ser astrofísico. Seu objetivo é investigar a origem do universo e provar a existência do Criador. Para ele, que é filho de cristãos, só uma força externa seria capaz de formar tudo o que existe. Nas horas vagas, ele realiza com outros meninos brincadeiras e passatempos bem comuns para a sua idade.

As intenções do garoto não são ruins, como pareceu nas entrevistas que concedeu. “Eu só quero provar às pessoas que Deus existe mesmo”, diz Will, endossado pelo pai: “Eu digo a ele: ‘o Senhor lhe deu um presente. A pior coisa seria rejeitar esse dom e não usá-lo para melhorar o mundo’”.

Gênios com fé

Há quem não enxergue a correlação entre ciência e crença cristã, mas essa não é a primeira vez que uma pessoa de grande inteligência põe seus talentos a serviço de Deus, em vez de alimentar o próprio ego. Michael Heller, um dos teólogos mais respeitados da Polônia, ganhou um importante prêmio científico, o da Fundação Templeton (Estados Unidos), ao formular uma teoria com bases contundentes de que o Big Bang (a grande explosão que originou o universo e sua expansão) e outras teorias podem ter acontecido guiadas pela mão de Deus. Muitos cientistas concordam com a teoria da explosão, mas nunca provaram de onde veio o material que explodiu e o que a causou. Para Heller, “a ciência nos dá o conhecimento, mas a crença em Deus nos dá o sentido”.

Will pode vir a confrontar teorias de físicos historicamente conceituados, como Stephen Hawking e Albert Einstein, que são ateus.

Como Will e Heller, outros grandes nomes da ciência não rejeitaram Deus nem se esqueceram de sua condição de servos dEle. Uma mente verdadeiramente brilhante não emite luz própria – como muitos gostam de pensar sobre sua própria genialidade –, mas reflete o brilho Divino. Constam desse grupo Michael Faraday, Louis Pasteur e Isaac Newton (que inclusive fez grandes pesquisas sobre o Templo de Salomão original), só para citar alguns.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Marcelo Rangel / Foto: Reprodução  


reportar erro