Notícias | - 6:51 pm


Ela havia desistido de amar e de ser amada6 min read

Até que conheceu um Amor sem igual. Conheça a história de Samantha Kanehara

Uma garota de programa como protagonista de uma novela. É essa a proposta de Amor sem Igual. A trama da Record TV aborda de forma mais realista e menos romantizada a situação das garotas de programa, além dos perigos e dos traumas que podem envolvê-las.

Muitos consideram que um bom emprego é capaz de tirá-las desta situação. Há ainda aqueles que acham que elas fizeram essa escolha por falta de vergonha.

Mas o que não entendem é que a entrada para esta “vida” esconde muito mais do que dificuldades financeiras ou falta de decoro. É o resultado de problemas profundos, tais como: traumas, autodesvalorização e rejeições.

Foi o que aconteceu com a cabeleireira Samantha Kanehara, de 34 anos. Ela foi uma das participantes do videoclipe do tema oficial da novela Amor sem igual.

Nunca foi amada

Samantha teve uma infância conturbada, sem a presença do pai e sem uma referência de família. Presenciou a mãe iniciar e terminar vários relacionamentos. Em um deles, devido ao álcool e às drogas, a mãe sofreu agressões físicas e psicológicas.

“Só via ódio e brigas. Eu me tornei uma criança calada, com medo de tudo, triste e que dificilmente sorria”, recorda-se.

Tudo isso se refletiu mais tarde nas escolhas da vida amorosa. E foi uma decepção nesta área que a conduziu para a prostituição com apenas 17 anos (e nela ficou por quase 9 anos).

Ao descobrir uma traição, decidiu terminar o relacionamento, só que não foi tão simples como imaginou que seria.

“Após a traição, eu larguei tudo e tive que me esconder do meu ex. Pois, ele era traficante e não aceitava o término. Quase morri, ao sofrer um atentado de facções criminosas rivais. Sem ter onde morar e correndo risco de ser assassinada, eu tinha que arrumar dinheiro rápido, mas não tinha profissão, não tinha nada”, relata.

O convite para a prostituição, então, surgiu de algumas amigas que já faziam programas.

O primeiro dia

Samantha conta que o primeiro dia como garota de programa foi bem difícil. “Eu não sabia como agir. Não usava bebida alcoólica, nem drogas. Fui orientada a fazer apenas o que o cliente pedisse e assim eu fiz”.

Àquela altura, ela conta que já havia se tornado uma mulher fria, sem sentimentos. Fazia tudo no automático e tratava os homens como eles tratavam as mulheres.

“Mesmo antes de entrar para a prostituição, eu era infeliz, mal-amada, sempre era traída, nos meus relacionamentos não existia respeito, até que desisti de tentar amar e ser amada. Não acreditava mais que poderia ser feliz. E quando estava como garota de programa não me envolvia sentimentalmente. Eu criei um bloqueio. Homem para mim era só para trabalho e ganhar dinheiro”, relata.

Samantha achava que felicidade era coisa de novela. E mesmo com o sonho de ser realizada na vida amorosa, pensava que era algo impossível quando se lembrava de sua realidade.

Uma vida (nada) fácil

Por sexo estar, normalmente, associado ao prazer, promoveu-se a ideia de que a prostituição é a escolha de uma vida “fácil” por quem não quer trabalhar.

Mas as experiências vividas por essas mulheres mostram que de “fácil”, a vida como prostituta, não tem nada.

Samantha pode afirmar isso. Ela se recorda de uma situação que a marcou muito. Um homem, após o programa, disse que não iria pagá-la. “Eu me senti muito mal, pior que um lixo, um nada. Tinha nojo de mim mesma”, conta.

Com o passar dos anos, Samantha só conseguia fazer programa se estivesse alcoolizada – algo comum na atividade. E chegou ao ponto de usar cocaína com clientes para não perder o dinheiro.

“Ali, para mim, foi o fundo de poço. De dentro do banheiro da boate, eu pedi a Deus socorro. Falei que se Ele existisse, tirasse-me dali porque eu não aguentava mais sofrer”. A dor que ela trazia na alma era tão profunda que preferia a morte do que continuar na prostituição.

Uma semana após aquela oração, Samantha conta que conseguiu sair da boate. Era uma quinta-feira de maio, em 2012, e no dia seguinte ela chegou à Igreja Universal.

Nova vida

Ao chegar à igreja, um Pastor a orientou, com base na Bíblia, o que ela deveria fazer para mudar de vida. E a obediência fez Samantha perceber, pouco a pouco, o sonho de ser feliz se tornando realidade.

Decidida a mudar, ela se recorda que a atitude mais difícil foi abandonar as antigas amizades, as quais desejavam continuar na prostituição.

“Eu era rodeada de amigas, mas me vi sozinha. Porém, sabia que lá na frente veria o resultado desse sacrifício”.

A falta de dinheiro também foi outro obstáculo: “Não tinha experiência nenhuma. Nunca tinha trabalhado com carteira assinada. Então, eu teria que me acostumar a viver sem as regalias que o dinheiro da prostituição me proporcionava”.

A libertação dos vícios e daquilo que a oprimia há tantos anos aconteceu, mas ainda faltava o mais importante: o batismo com o Espírito Santo.

Até que, em uma quarta-feira, ela recebeu o presente mais precioso que o ser humano pode ganhar. “Eu encontrei o grande amor da minha alma, o meu Senhor Jesus. Ele mudou meus pensamentos, minhas atitudes. Já não era mais a mesma. Eu me senti amada como nunca fui em toda a minha vida”, comemora.

Servindo a Deus

Conhecer o Autor do Amor fez com que, finalmente, Samantha alcançasse a realização na vida amorosa. Hoje, ela é casada com o designer gráfico Talles Kanehara. Os dois são obreiros e voluntários do grupo UNP (Universal nos Presídios) e se dedicam à levar a Palavra capaz de transformar vidas.

Toda oportunidade é aproveitada por Samantha para contar o que Deus fez em sua vida.

“O amor de Deus me transformou por completo em todas as áreas. Eu não sinto falta de nada, pois, alcancei a plenitude de Deus em minha vida. E é um prazer poder mostrar o Senhor Jesus através do meu testemunho e fazer as pessoas crerem que há uma saída, que o amor de Deus muda a nossa vida quando nos entregamos a Ele de corpo, alma e espírito”.

Mais do que uma novela

Acompanhe aqui no Universal.org a história de vida das demais participantes do videoclipe oficial do tema da novela: a empreendedora Paloma Vidal, de 22 anos; a operadora de caixa Taís Wandermurem, de 28 anos; a autônoma Marília Cordeiro, de 30 anos; a corretora Roberta Leocadio, de 46 anos; e a apresentadora Andressa Urach, de 30 anos.

E para descobrir o que um amor sem igual pode fazer na vida de uma pessoa, acompanhe a novela na Record TV, de segunda a sexta-feira, às 20h30.

Você também pode acompanhar as novidades no site oficial, rever algumas cenas e conferir cada personagem.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Núbia Onara / Foto: Demetrio Koch / Cedidas 


reportar erro