Notícias | - 3:00 am


Duas árvores, uma palavra5 min read

O Bispo Macedo comenta, em reunião especial com os obreiros, o que podemos aprender com a palmeira e o cedro do Líbano

Duas árvores, uma palavra5 min read

Durante a reunião especial voltada para os obreiros no Templo de Salomão, em São Paulo, que aconteceu no sábado, 15 de julho, os voluntários da Universal descobriram mais sobre os segredos da fé com o Bispo Macedo.

Duas árvores, uma palavraEntre os obreiros estava Giselia Silva (foto ao lado), de 31 anos. Voluntária há sete anos, ela fala da importância de encontros como esse. “Considero esse encontro como um momento meu, uma corrente que foca 100% em mim.”

Ela não só participa das reuniões de obreiros, que acontecem semanalmente no Templo, como também assiste ao programa Obreiros em Foco, realizado pelo bispo Sergio Corrêa, responsável pelo trabalho com os obreiros da Universal no País. “Com certeza, esse cuidado com cada um de nós, através do programa e das correntes no Templo, tem avivado nossa vida espiritual. Para mim, essas reuniões são muito importantes e já fazem parte da nossa vida”, comenta Giselia, que acompanha as correntes e as programações ao lado do marido, Williams, que também é obreiro.

Quanto ao momento da reunião que mais lhe chamou a atenção, a obreira lembrou da oração de busca ao Espírito Santo. “A busca realizada pelo Bispo Macedo nos levou aos céus pela fé. Foi um momento que teve avivamento, renovação e perdão.”

Um dia especial

“Elevamos os pensamentos a Ti, elevamos nossos corações, nossa mente ao Todo-Poderoso, ao Senhor dos céus e da terra, ao Único que é digno de toda glória, honra e majestade. Tu és o nosso Senhor, meu Pai. Tu és nossa riqueza incalculável e ninguém pode roubá-la, porque ninguém pode tocar no que é Teu. Verdade que somos vaso de barro, mas esse vaso contém a Tua glória, a Tua majestade, o Teu espírito”. Foi dessa forma, com palavras de adoração, que o Bispo Macedo iniciou a reunião.

Ainda em oração, o Bispo se lembrou de um sonho antigo. “Deus, me lembro do dia em que, chorando, pedi para ganhar uma alma, pelo menos uma única alma. Eis que hoje temos milhões de almas espalhadas pelo mundo e milhares de milhares que ganham outras almas. Pensei em algo pequeno e o Senhor fez uma coisa grande, monumental. Agora, 40 anos se passaram e eu pergunto quem dará continuidade a esse trabalho para que, nos próximos 40 anos, venha acontecer mil vezes mais do que aconteceu até aqui?”, comentou o Bispo durante sua conversa com Deus, na presença dos obreiros.

Como palmeira e cedro

Duas árvores, uma palavraApós a oração, o Bispo compartilhou uma palavra que pode ser encontrada no livro de Salmos, capítulo 92, versículo 12: “O justo florescerá como a palmeira; crescerá como o cedro no Líbano”. O trecho foi base para sua palavra a todos os que desejam crescer como a palmeira, uma árvore associada a lugares áridos, mas capaz de florescer o ano inteiro.

“Segundo a Bíblia, o justo florescerá como a palmeira, quer dizer que, quando a pessoa é justa, ela não é justa no inverno ou no verão. Ela é justa em qualquer lugar, sob quaisquer circunstâncias, porque assim é o Senhor Jesus. Deus é justo e os que estão nEle são corretos, íntegros, de bom caráter. Florescem e mostram Seus frutos, a beleza que é a Sua justiça”, explicou o Bispo.

A continuação do versículo mostra que o justo também crescerá como o cedro. Ele cresce apenas 5 centímetros nos primeiros três anos. Em compensação, suas raízes atingem um metro e meio. Após esse período, pode crescer de tal forma que, a cada ano, supera um desenvolvimento de mais de 20 centímetros. A árvore pode chegar a 40 metros de altura e a 14 metros de diâmetro.

O cedro do Líbano cresce em lugares pouco fertilizados, tem uma grande durabilidade e uma madeira duríssima. Ele foi usado, inclusive, na construção original das colunas do Templo de Salomão. “Normalmente, você encontra os cedros nas montanhas. Dá nos montes justamente para que possam ter condições de ‘crescer para baixo’, suas raízes alcançam as águas no fundo da terra. E, se encontram rochas, as abraçam, dão a volta e continuam perseguindo até os lençóis freáticos de água. Em outras palavras, essa madeira mostra a grandeza de Deus, a infinidade, a durabilidade daqueles que são de Deus”, ensinou o Bispo.

Lições valiosas

Sempre vamos encontrar dificuldades na vida. Mas, se tivermos fé e formos como o cedro iremos vencer. “Quem é cedro sabe que vai encontrar pedra, mas vai passar por cima. Quem é de Deus, quem está em Jesus, vence. Aqueles que estão firmes na rocha – que é Jesus – vão vencer também. As lutas vêm. Sempre temos épocas de chuvas e de seca. Assim também é a fé. Não espere um Senhor mágico em sua vida. Jesus não é um mágico, que está sempre pronto para resolver seus problemas. Ele deixa os problemas acontecerem para firmar sua fé”, finalizou o Bispo.

Veja as novas instruções para participação nas reuniões do
Templo de Salomão
clicando aqui. Para obter outras informações, você também
pode entrar em contato com a Central de Informações do Templo de Salomão: (11)
3573-3535 ou
info@otemplodesalomao.com.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Flavia Francellino / Fotos: Demetrio Koch e Arquivo Pessoal 


reportar erro