Notícias | - 12:05 am


Como o trabalho do UNP transforma vidas?3 min read

O grupo leva palavras de fé aos encarcerados de todo o País e colabora para evitar situações como a rebelião que terminou com 56 mortos em Manaus

Como o trabalho do UNP transforma vidas?3 min read

Foram cerca de 17 horas de agonia. A maior rebelião de presos já vista no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus, capital do Amazonas, deixou 56 detentos mortos. Ela teve início na tarde do último dia 1º de janeiro e só foi encerrada às 7 da manhã do dia seguinte.

O motivo apontado pelas autoridades de segurança local para que o conflito se estabelecesse no complexo prisional foi uma guerra entre facções rivais pelo controle do tráfico de entorpecentes em Manaus. Esse tipo de conflito vem acontecendo em caráter nacional, com episódios semelhantes já registrados também no Acre, em Rondônia, Roraima e na região Nordeste.

Universal nos presídios

Para o pastor Gilberto Costa, há 10 anos responsável pelo trabalho do grupo Universal nos Presídios (UNP) no Pará, a chance de uma rebelião acontecer é grande nos presídios do País – em razão de situações como a superpopulação carcerária, por exemplo. Por isso o trabalho do UNP é tão importante. “Nós do UNP, em todo o Brasil, levamos a eles, homens e mulheres encarcerados, a Palavra de Deus, com o intuito de libertá-los não apenas das grades, mas dos sentimentos e das feridas que os aprisionam. Mostramos a eles a fé que cura, que liberta, que transforma e que faz a pessoa buscar uma nova vida.”

Enquanto a rebelião acontecia, familiares de presos aguardavam informações na entrada do complexo penitenciário. Eles queriam notícias de seus parentes, se estavam bem ou feridos. Muitos dos familiares, antes mesmo da identificação dos mortos, se reuniram em oração em frente ao presídio. “Nós também realizamos um trabalho na porta dos presídios e levamos a Palavra, oramos junto com eles (familiares dos presos) e clamamos a Deus pelo parente que está preso e por aquela situação que está acontecendo ali. Levamos acima de tudo o alimento espiritual”, diz o pastor Gilberto Costa.

O trabalho do grupo

Mais de 8 mil voluntários compõem o grupo Universal nos Presídios, que leva apoio espiritual por meio da Palavra de Deus aos detentos do sistema carcerário no Brasil e também aos seus familiares há mais de 30 anos, seja em ações sociais na porta dos presídios, seja durante as visitas.

Hoje, a Universal atua em 350 presídios do País, contemplando todos os Estados da Federação, atendendo a 80% da população carcerária, que chega a mais de 600 mil detentos, segundo o Centro Internacional de Estudos Penitenciários.

O grupo também auxilia os detentos em suas necessidades físicas ao fazer entrega e doação de alimentos, de kits de higiene, de Bíblias e livros e levar até eles serviços de saúde e bem-estar.

Colaborou: Michele Roza

A Universal mantém diversos projetos sociais e, por meio de seus voluntários, atua em vários setores da sociedade, com o objetivo de levar auxílio emocional, psicológico, material e, sobretudo, espiritual aos que necessitam, em asilos, orfanatos, hospitais, presídios, comunidades, entre outros locais.

Clique nos links abaixo e conheça alguns desses projetos:

Projeto Raabe (Auxílio a mulheres vítimas de violência doméstica)

Projeto T-Amar (Apoio a adolescentes grávidas e mães solteiras)

Projeto Ler e escrever (Alfabetização de jovens e adultos)

Anjos da madrugada (Ajuda a moradores de rua)

A Gente da comunidade (Ações sociais em comunidades)

Grupo Calebe (Incentivo e auxílio a idosos)

Força Jovem (Ações com os jovens)

Identificou-se com algum desses projetos? Então não perca mais tempo, procure uma Universal mais próxima e obtenha informações de como se tornar um voluntário. Não esqueça: “… Mais bem-aventurado é dar que receber.” Atos 20.35


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Da Redação / Foto: Mídia UNP 


reportar erro