Notícias | - 3:00 am


Como lidar com o sentimentalismo3 min read

Dar vazão aos sentimentos sem controle atrai problemas prejudiciais à sua vida

Como lidar com o sentimentalismo3 min read

Seu coração é daqueles “hipersensíveis”? é claro que estamos falando das emoções. Você é daqueles que se deixam dominar facilmente pelas circunstâncias, pelas decepções, pelas pessoas à sua volta? Tem sentimentos de superioridade, olha as pessoas com maus olhos e é malicioso ou maliciosa?

Atitudes assim abrem portas para dificuldades que, muitas vezes, nos ferem e nos prejudicam.

O Bispo Edir Macedo, em seu blog, diz que as pessoas que vivem do que sentem não conseguem vencer a si mesmas e muito menos o mundo. “A fé do coração é como cosmético: derrete diante do calor da batalha; tapa os ouvidos ao som da trombeta e foge do alarido de guerra. Como o Espírito de Deus poderia contar com esse tipo de gente?”, questiona.

O Bispo Macedo ressalta que, mesmo que o coração grite, esperneie e sinta ódio, é importante que cada um saiba usar a razão, o intelecto, e, dessa forma, obedeça à Palavra de Jesus e pronuncie palavras de bênçãos a outras pessoas. “é óbvio que o Espírito Santo, mediante esse esforço de fé, removerá instantaneamente os sentimentos do coração”, complementa.

Por onde começar?

Não saber lidar com os sentimentos pode levar a um caminho arriscado e tortuoso. “Há pessoas com grande facilidade em guardar mágoas, ressentimentos; se autocondenam, julgam os outros. Deixar-se influenciar assim só prejudica a própria pessoa”, diz o bispo Júlio Freitas. Ele aproveita a oportunidade para indicar os quatro passos indispensáveis para controlar o sentimentalismo prejudicial.

1.Perdoe-se

“Insistir no erro de alimentar esses sentimentos nocivos em seu coração só lhe prejudicará e afetará também aqueles que fazem parte de sua vida”, afirma o bispo. Ele diz que esse primeiro passo é importantíssimo para que se consiga seguir em frente.

2. Perdoe quem lhe ofendeu

Muitos não conseguem perdoar quem lhes causou alguma decepção ou mágoa. é uma armadilha perigosíssima. Mas como evitá-la? “Uma coisa que funcionou comigo foi começar a olhar para o lado positivo dessas pessoas, ao invés do negativo. Com certeza algo positivo há nelas, como há em cada um de nós. Por quê? Porque se você focar só nos aspectos negativos delas, se achará no direito de julgá-las, de guardar ressentimentos.”

3. Não tente assumir o lugar de Deus

Ele não dá o direito a ninguém de julgar e de condenar quem quer que seja. “Ele mesmo, como Deus, não tem prazer em condenar ninguém”, diz o bispo Júlio. “Por isso mesmo Ele dá a todas as pessoas como você e eu a oportunidade de aprendermos com nossos erros, para crescermos, amadurecermos. Ele não dá esse lugar a ninguém, porque ninguém é perfeito, só Ele”, explica. “Portanto, só Ele pode condenar ou absolver. E tentar assumir o lugar de Deus não fará bem a você.”

4. Perdoe para ser perdoado

Se você não perdoar, nunca será perdoado ou perdoada. O bispo Júlio se baseia nos ensinamentos de alguém bem mais experiente para falar disso. Essas são as palavras do Senhor Jesus quando disse: “Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; soltai, e soltar-vos-ão.” (Lucas 6.37).

“Foram essas as palavras sábias dAquele que teve e tem todo o direito de guardar mágoa, julgar e condenar, mas não o faz, porque Ele é Deus, é Perfeito e quer que você e eu exercitemos este poder que há em nós de perdoar, não para que sejamos perfeitos, mas para que Ele nos livre do pior”, finaliza o bispo Júlio.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Marcelo Rangel / Foto: Fotolia 


reportar erro