Notícias | - 12:05 am


Alcance seus objetivos em 201710 min read

Saber planejar as metas é uma etapa importante para conseguir concretizá-las. Inspire-se nos exemplos dos nossos entrevistados e entenda como agir para fazer deste ano o melhor da sua vida

Alcance seus objetivos em 201710 min read

Um novo ano começou. Para muitas pessoas, chegou a hora de executar a lista de metas que preparou antes de o relógio bater meia-noite. Para outras, é mais um início de ano em que vão carregar os mesmos desejos de anos anteriores na perspectiva de que agora eles se concretizem.

Para que você não tenha as mesmas frustrações dos outros anos, é preciso saber planejar corretamente o que pretende realizar neste ano e o que fazer para que isso aconteça.

O mesmo vale para quem tem novos objetivos pela frente. Ao criar expectativas sobre alguma área é importante refletir sobre as estratégias que vai utilizar. Na verdade, o planejamento depende da persistência para que o objetivo saia da cabeça e vá para o papel e depois para que saia do papel e se transforme em atitude.

Se você listou algumas metas para 2016, mas não conseguiu colocá-las em prática, não desanime. As resoluções do ano passado, cumpridas ou não, devem servir como motivação para que você busque realizar as que faltaram.

Para traçar um plano é preciso, em primeiro lugar, fazer um balanço da sua vida até aqui. A psicóloga Magda Fontes Cerqueira explica que, diante de tantos desejos, as pessoas não se questionam sobre suas reais necessidades. “Elas não se perguntam sobre o que realmente querem, então, já começam o ano errado”, explica.

é fundamental refletir sobre os motivos que lhe impediram de alcançar os objetivos nos anos anteriores. “Faça as perguntas: ‘entre as metas atingidas, quais competências utilizei? E entre as que eu não conquistei, quais competências faltaram?’ Esses questionamentos ajudam a preparar uma lista com as reais limitações”, ressalta.

Depois de ter avaliado o que aconteceu no passado, é hora de planejar o futuro. Para isso, novas perguntas devem ser feitas sobre o que se espera para cada área. A psicóloga exemplifica: “na área financeira, por exemplo, não adianta responder que o que espera é ganhar dinheiro, mas quanto deseja ganhar. Se você tem um negócio não vale só dizer que precisa crescer, mas apontar os gargalos que impediram o crescimento até aqui e o que precisa fazer para eliminá-los”, sugere.

Metas atingíveis

Uma lista de resoluções nunca é cumprida se nela existirem objetivos incompatíveis com as atitudes que você costuma ter. Por exemplo: não adianta dizer que quer emagrecer se as refeições fast-food continuarem fazendo parte da sua vida. Ou prometer que vai se casar se não investir em um relacionamento sério.

Outra forma de realizar metas que são realmente alcançáveis é deixar de pensar apenas em desejos para listar as reais intenções para o novo ano. A terapeuta e coach de relacionamentos Margareth Signorelli aponta as diferenças: “desejo é aquilo que você almeja, mas que não tem obrigação de fazer algo para que seja realizado. é aquilo que você deixa acontecer, sem compromisso. Já a intenção corresponde àquilo que você se propõe a mudar, que é de sua responsabilidade.

Quando você fala em intenção o plano torna-se mais concreto. O desejo faz a pessoa permanecer parada, como se estivesse esperando-o cair do céu”, esclarece.

Bruno Lisboa, de 26 anos, levou algum tempo para entender que precisava tomar uma atitude prática para conseguir trabalhar na área de que mais gostava. Enquanto ele via a mudança apenas como um desejo ela não se realizava.

O jovem trabalhou durante oito anos em uma empresa metalúrgica, mas sempre gostou também de estética automotiva. Após seis anos na empresa, essa preferência despertou nele a vontade de ter um negócio próprio. Todo final de ano ele listava como meta para o ano seguinte que iria fazer algo diferente para que o sonho se concretizasse. “Cheguei a divulgar meus serviços para que, com a demanda que aparecesse, eu criasse coragem para sair de onde estava”, revela.

Contudo, no ano seguinte, ele não conseguia sair do trabalho. “Sentia medo por saber que tinha meus compromissos financeiros e iria entrar em uma etapa em que eu seria meu próprio patrão”, relembra.

Quando 2016 se aproximou, ele definiu que esse objetivo não poderia mais ser adiado. Para isso, começou a mudar seus pensamentos. “Trabalhei a minha mente primeiro e coloquei dentro de mim que eu era capaz, que, se eu tinha esse sonho, era porque seria capaz de realizá-lo. Então, busquei exemplos de outras pessoas que poderiam ser uma inspiração para mim”, conta.

A partir daí, ainda em 2015, ele começou o processo de mudança. Para abrir um negócio sólido, buscou se atualizar no ramo, fez cursos e treinamentos e comprou equipamentos modernos. “Isso foi o que fez eu subir um degrau na realização e descer outro na escada do medo”, admite.

Bruno também teve outro desafio para sair da empresa onde trabalhava: “lembro que o meu líder não queria, porque eu prestava um bom serviço. Isso acabou fazendo com que minha saída demorasse ainda mais”, diz.

Hoje, ele trabalha com o que mais gosta, mas assume que não realizou tudo o que deseja e, por isso, sabe que precisa traçar novos caminhos para chegar a outros objetivos neste ano. “Com Deus à frente e minha força de vontade e dedicação chegarei onde quero neste ano.”

Hora de agir

Muitas pessoas dizem “ano novo, vida nova”, mas, para que possam alcançar resultados diferentes dos que vêm colhendo até o momento, é preciso que haja uma mudança na maneira de pensar e agir.

O coach profissional Robson Profeta diz que as atitudes determinam a mudança. “As pessoas precisam ter consciência de que não conseguem resultados diferentes agindo da mesma forma. O sucesso é um fruto que nasce na mesma proporção das sementes que se planta. Se não agir, continuará no mesmo lugar”, avalia.

Para colocar as metas em prática com êxito é preciso ter foco. Escolha uma área da vida que deseja impulsionar, veja o que precisa ser feito e invista nela. Por exemplo: se você pretende estudar, mas se matricula em vários cursos ao mesmo tempo, certamente não conseguirá concluir nenhum deles por falta de tempo e de organização.

O foco corresponde às suas prioridades. Relembre se aquilo que você deixou passar em 2016 faz ou não parte delas. “A tomada de consciência é o processo mais importante. Se uma pessoa resolve ficar deitada no sofá em vez de fazer exercícios é porque, de alguma forma, ela está dando mais prioridade ao descanso”, compara Robson.

Outra maneira para praticar as metas é substituir a expressão “não consigo” por “um passo de cada vez”. Ao se deparar com situações mais difíceis, some uma atitude a outra e, a cada meta cumprida, passe para a próxima. “Um maratonista não nasce correndo 42 quilômetros. Ele começa com 300 metros e inicia seu treinamento. Pula para cinco quilômetros, depois para dez. Então, corre meia maratona e bingo: realiza seu sonho”, exemplifica o coach.

Pode ser que surjam obstáculos e você tenha de mudar a rota para chegar no objetivo. Se isso acontecer, não desanime. O coach explica que, neste caso, é preciso traçar um novo plano. “Se novos fatos acontecerem e fizerem com que haja mudança de rumo é porque nasceu uma nova prioridade. O que precisamos avaliar é se abandonamos a primeira prioridade, ficamos com as duas ou assumimos a nova”, sugere.

Caso defina que continuará com o mesmo objetivo, então, não faça com que o novo desafio seja uma limitação, mas uma mudança de caminho para se atingir a meta.

Protelar faz mal

A estudante Adresley Crislaine da Cruz, de 21 anos, adiava seu objetivo de fazer uma faculdade porque nunca traçava essa meta como prioridade. Todo final de ano era a mesma coisa: ela falava que no ano seguinte faria um curso de Gastronomia, mas não o realizava. “Eu ficava só no pensamento do ‘vou fazer’, muitas vezes porque estava ocupada com outra coisa. Fiz até um vestibular on-line uma vez, mas a falta de prioridade fez com que eu perdesse o resultado por não estar atenta.”

Terminava um ano, começava outro e a jovem não queria sacrificar seu tempo, dedicado apenas ao trabalho voluntário na igreja. Quando percebeu que suas amigas já estavam na faculdade, ela mudou de pensamento e planejou que em 2016 seria diferente.

Adresley já havia se prejudicado antes por causa de outra situação de adiamento. Por causa de maus hábitos alimentares, ela teve uma forte anemia e precisava ir ao médico, porém, adiava para o ano seguinte. “Eu deixava que as coisas acontecessem conforme seu percurso natural. Não me tocava que tinha que trabalhar o meu presente para resolver meu futuro”, conta.

Quando já estava doente, bem abaixo do peso e com uma infecção pulmonar, percebeu que a situação havia chegado no limite. “Estava colhendo o resultado do tempo que protelei por não ter cuidado da saúde. Só quando vi que não podia mais empurrar com a barriga é que não tive mais escolha”, aponta.

Apenas depois de ter a saúde restabelecida, a jovem pôde colocar em prática o objetivo de estudar. Fez aulas de gestão empresarial, etiqueta, serviços de restaurante, informática e espanhol. Em seguida, começou a cursar Gastronomia.

A estudante agora entende que é preciso ter sempre objetivos bem definidos. “Recomendo que tenham metas, mas que remem em direção às suas metas, pois não basta só estar no barco. Aprendi que não existe missão fácil, mas missão concluída”, ressalta.

Vencendo as frustrações

Algumas pessoas terminaram o ano passado tristes porque não encontraram um novo amor, não quitaram as dívidas ou não conseguiram adquirir um bem. Então, entraram neste ano frustradas e até sem perspectivas. Se este é o seu caso, saiba que há, sim, formas de tudo ser diferente, como foi 2016 para Dayane de Aguiar Vieira, de 26 anos.

Ela iniciava todo ano frustrada por não ter um relacionamento sério com alguém que a valorizasse. Apesar de quase nunca passar a virada de ano sozinha, estava sempre infeliz. “Me sentia bem por ter alguém, mas não segura. Sempre imaginava que no ano seguinte seria melhor. Contudo, os relacionamentos nem duravam o ano todo”, comenta.

Para 2016, ela determinou que contaria uma nova história de sua vida amorosa. Então, definiu como meta resolver essa área de sua vida, já que sempre tentava, mas não conseguia. “Todo ano eu procurava novas amizades, novos lugares para ir, mas nada fazia diferença, só piorava a situação”, desabafa.

Em 2015, Dayane começou a namorar Lucas Gonçalves Vieira, de 27 anos, que antes de conhecê-la também era um jovem frustrado na vida amorosa. “Eu só pensava em trabalho e faculdade. Tanto que fiquei dez anos sem ninguém ou tinha breves relacionamentos”, destaca.

Assim que iniciaram o namoro, ela listou como meta que em 2016 se casariam. Para seu objetivo ser concretizado, começou a frequentar a “Terapia do Amor” na Universal. “Investi minhas forças na área amorosa, aprendi com as palestras e coloquei os ensinamentos em prática. Com isso, questionei o Lucas se iríamos de fato tomar essa decisão, pois do contrário não queria perder tempo”, alega.

Ele morava em São Paulo, e Dayane, no interior. Ela precisava conseguir um trabalho na capital para se mudar e se casar com ele. “Precisávamos de planejamento para obter os recursos, mas tudo foi resolvido em dois meses. Uma porta de trabalho foi aberta, conseguimos nos planejar e obtivemos todo o valor do casamento”, comemora.

Portanto, se você começou o ano com sua lista de metas para serem cumpridas, reveja agora se elas foram inseridas conforme o planejamento indicado pelos especialistas, foque em seguida em estabelecer a rota de cada uma e persista. A aplicação prática da fé em Deus também é uma força que o impulsiona a conquistar seus sonhos. Aprenda a desenvolvê-la. Assim só vai dar errado novamente se você ficar parado.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Janaina Medeiros / Fotos: Fotolia, Demetrio Koch e Marcelo Alves 


reportar erro