Notícias | - 3:05 am


O que é ser mulher4 min read

Última palestra do Godllywood coloca em xeque a ideia equivocada que muitas têm de si mesmas

O que é ser mulher4 min read

Não são poucas as mulheres que têm certa dificuldade de aceitar seu papel como mulher nesse mundo, até porque a cada momento a sociedade “dita” uma nova regra. A ideia de uma mulher meiga, frágil e toda feminina é algo ultrapassado. A mulher de agora é forte, dona de si mesma e faz de seu corpo o que bem entender. Isso é o que se diz “por aí”. Mas, embora sejam fortes, donas do próprio nariz e ocupem cargos importantes, há as que perdem para si mesmas, porque não sabem o que lhes falta para alcançar a realização completa.

Muitas não querem saber

“O assunto que a gente vai falar hoje diz respeito a você, que é mãe, solteira, casada, filha, a você, mulher.” Foi assim que Fátima Bassini iniciou a reunião do Godllywood Autoajuda, no último dia 1º de abril. As cerca de 9 mil mulheres que estavam no Templo de Salomão, em São Paulo, e as que acompanharam o evento por videoconferência em várias cidades do País foram orientadas não apenas a como administrar todas as áreas da vida, mas a se autoadministrar.

“Nessas últimas décadas, temos visto a mulher sobressaindo, se destacando, alcançando direitos iguais, tendo sucesso profissional e tudo isso é muito legal. Mas, infelizmente, a mulher não tem sabido administrar tudo isso. Todo esse crescimento, essa liberdade, tem refletido de forma negativa na personalidade, no perfil e nos relacionamentos que a mulher tem”, continuou.

O assunto foi tratado de maneira leve e com muitos exemplos. Foi um encontro cheio de boas reflexões para todas as participantes. “Com a independência, a mulher tem se sentido totalmente segura, muitas batem de frente e de igual para igual com o homem. Se ele fala, ela quer falar mais alto, porque, afinal de contas, somos iguais. Então, aos pouquinhos, por conta dessa independência e desse marketing forte, a mulher está ficando cada vez mais distante do plano original de Deus para ela. Deus criou a mulher com um perfil tão lindo e único, mas ela vem desprezando todas as características perfeitas que Deus lhe deu. Será que Deus criou alguma coisa que precisava de um toque humano porque ficou incompleto, um pouco errado? é obvio que não.”

Volta e meia lemos nas revistas e blogs ou ouvimos das amigas a importância da igualdade de gêneros. Mas o que deveria ser igualdade com respeito passa a ser uma competição que não tem fim. Se duas peças estiverem iguais no quebra-cabeça, ele simplesmente não vai ser completo nunca.

Mas essa ideia, com um quê de antiquada e cheia de blá-blá-blá, incomoda muitas. “Essa mulher que estão dizendo que é frágil, que é Amélia, boba, é essa que, às vezes, está aí completando 30 anos, 20 anos de casada, diferentemente daquelas que batem de frente, que ficaram dois anos mas o casamento não resistiu”, disse Fátima. Ela expôs ainda que “quanto mais parecida você for com o homem, mais distante esse homem vai querer estar de você”.

De volta ao passado

Se está se perguntado qual é o perfil original que Deus pensou para a mulher, vamos a ele. Em Provérbios 31, no versículo 30, é possível analisar a força que a mulher tem em todas as esferas de sua vida. De esposa louvada, mãe amada a empresária bem-sucedida, feliz com ela mesma. Nos trechos da Bíblia não lemos que essa mulher ficava chorando em frente ao espelho por conta da celulite. Ela também não se comparava às outras nem reclamava dos afazeres e responsabilidades. Por quê? De onde vem essa força? “Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada.”

O Espírito de Deus, o Criador da mulher com sua perfeição, é O único capaz de resolver as questões e a “mais complexa mulher que possa existir”, destacou Fátima. “O Teu Espírito habitando dentro de uma pessoa transforma temperamentos, manias, costumes. Ele muda a visão, dá sabedoria. Com Ele vem o domínio próprio, a paz, o amor e tudo que um ser humano precisa para poder ser feliz e estar bem consigo”, arrematou.

A reunião do Godllywood Autoajuda acontece a cada três meses, no primeiro sábado do mês, às 18 horas, no Templo de Salomão. Se você deseja saber das próximas datas, conhecer mais sobre o Godllywood e os projetos que ele apoia, siga-o nas redes sociais e acompanhe as publicações e novidades do grupo. Instagram: godllywoodoficial Facebook e Twitter:
@godllywood

O Godllywood visa auxiliar mulheres em toda e qualquer situação, desde que ela deseje realmente ser auxiliada e moldada para uma mulher melhor. Conheça mais sobre o grupo e saiba como participar dos projetos clicando aqui.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Flavia Francellino / Fotos: Demetrio Koch  


reportar erro