Notícias | - 12:05 am


“Eu não podia mais andar”4 min read

O vício em bebidas alcoólicas levou Alessandra do Socorro a sofrer um grave acidente de moto que a deixou entre a vida e a morte

“Eu não podia mais andar”4 min read

Alessandra do Socorro (foto ao lado), de 38 anos, foi traída e decidiu se separar do marido. Sem saber como lidar com a situação, ela começou a beber. Andava embriagada, triste e com baixa autoestima. Depois de uma das farras alcoólicas, um grave acidente aconteceu.

Ela bebeu o dia todo com os amigos e pegou uma carona na moto de um deles, que também havia bebido. O condutor bateu a moto contra um carro. No grave acidente, Alessandra teve traumatismo craniano, deslocou o maxilar, quebrou a clavícula e o braço e deslocou a bacia. Ela também teve fratura exposta na perna, que ficou dilacerada.

Enquanto aguardava a ambulância, Alessandra sofreu uma parada cardiorrespiratória e precisou ser reanimada diversas vezes.

No hospital, os médicos pensaram na possibilidade de amputar sua perna, mas optaram pela reconstrução. Alessandra ficou em coma induzido na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), pois seu estado era bem crítico. “Eu estava há uma semana na UTI quando minha tia perguntou para o médico sobre a previsão de alta. Ele disse que não acreditava que eu sairia tão cedo. Ele não tinha esperanças de que eu sobrevivesse”, conta.

Todas as pessoas que iam visitá-la no hospital não a reconheciam, pois o seu rosto estava desfigurado. Enquanto esteve internada, Alessandra sofreu sete paradas cardiorrespiratórias.

Sua mãe estava em outra cidade e não pôde vê-la de imediato. Mas ela já frequentava a Universal e acreditou que a filha logo ficaria curada. Por isso, levou a foto da filha para ser apresentada a Deus, determinando o milagre na sua vida.

Alessandra logo teve alta da UTI e os especialistas ficaram surpresos. Ainda assim, eles disseram que havia o risco de ela não voltar a andar. “Assim que voltei da sedação, me lembrei da época que eu frequentei a Universal. Pedi perdão a Deus por tudo que fiz e de ter me afastado dEle. Comecei a orar ali mesmo, na cama do hospital. Isso foi me dando forças para lutar mais.”

Após 40 dias de internação, Alessandra deixou o hospital em uma cadeira de rodas. Toda a equipe médica estava perplexa com a recuperação dela, pois os médicos estimaram que a internação mínima seria de seis meses.

Depois da alta, ela ainda passou por mais cinco cirurgias para reconstruir a perna. No acidente, ela quebrou o fêmur e perdeu parte dele. Os músculos da perna ficaram muito comprometidos.

Durante vários meses, foram realizados diversos procedimentos na perna, além de muitas sessões de fisioterapia. No entanto, o médico suspendeu os tratamentos e afirmou que seu caso era irreversível. “Não estava sendo fácil. Mesmo com dificuldades, eu ia às reuniões da Universal e fazia as sessões de fisioterapia, mas os exames não eram satisfatórios e eu não via nenhuma evolução. Isso me abatia um pouco. Mesmo desanimada, não aceitei a conclusão do médico”, diz.

Alessandra se revoltou com a atitude do médico, que disse que ela não voltaria a andar. Ela usou a fé e estava convicta de que Deus faria o impossível na sua vida. Ela fez propósitos de fé e confiou em Deus. Foi ganhando força na perna e em dois meses estava andando novamente. “Quando cheguei ao consultório andando, o médico me olhou e disse que eu era um verdadeiro milagre. Para ele, aquilo era impossível, pois eu havia perdido muitas partes da minha perna”, relata.

Deus não restituiu apenas a saúde de Alessandra, mas deu a ela uma nova família. Ela se casou novamente e é feliz na sua vida sentimental. Ficou livre do vício e leva uma vida sem nenhuma limitação.

Muitas pessoas fazem e recebem orações para tratar doenças incuráveis nas reuniões de cura e libertação da Universal. As correntes acontecem todas as terças-feiras, em todo o Brasil. Veja o endereço da Universal mais próxima em universal.org/enderecos.


Universal.org - Portal Oficial da Igreja Universal do Reino de Deus
  • Por Michele Francisco / Fotos: Cedidas 


reportar erro